A poesia me encontrou. Encontrei-me na poesia! Concedo-lha portentosas asas para alçar longínquos voos e disseminar sonhos nos corações cúmplices e sensíveis. Que ela logre fabulosos rasantes em vastos mundos prenhes de luz e encontre, por fim, felizes e aconchegantes moradas em almas renovadas.

Simone Moura e Mendes

sábado, 28 de janeiro de 2012

Adolescência

Vou aproveitar a adolescência... curtir os prazeres que a vida puder-me oferecer
enquanto a velhice não me arrebatar os sonhos

Vou explorar o meu corpo com as minhas mãos
sonhar com uma violenta paixão
enveredar-me por caminhos floridos
ouvir a sonoridade dos pássaros
embriagar-me de paz
caminhar descalça, cabelos ao sopro do vento

Acreditar que tenho dons poéticos
que curto sons frenéticos
abominar música clássica
apenas fazer serenata

Ter anseios políticos
achar que posso mudar o mundo
e fazer dos meus propósitos
um mundo de realização

Simone Moura e Mendes
(Poesia do livro Incógnita - esrita com cerca de 16 anos de idade)

2 comentários:

  1. Boa Tarde, recebi seu post...Estamos em um projeto que envolve os Adolescentes, caso interesse acesse.

    DESAFIO CULTURAL CAMP 2012

    www.adperus.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Simone.
    Gostaria da sua permissão para colocar algumas das suas poesias em meu blog, é um blog que somente trata de cultura e eu sou um admirador do seu trabalho... Todos os dias eu visito este seu blog.

    Caso deseje conhecer o meu blog o endereço é http://celeirodetalentos.blogspot.com e também estou com o site em construção, mais já pode ser visitado, o endereço é www.celeirodetalentos.com

    Desde já quero agradecer a sua atenção

    Gonzaga Filho

    ResponderExcluir